Procurar Notícia


Petroleiros alegam surto de Covid-19 em Refinaria Landulpho Alves e Petrobras diz que é ‘reflexo do aumento de casos na Bahia’

O Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro-BA) informou que há um surto de Covid-19 na Refinaria Landulpho Alves (Rlam), que fica em São Francisco do Conde, na região metropolitana de Salvador. Em nota, a Petrobras disse que é um reflexo do aumento de casos no estado.

De acordo com o Sindipetro, um levantamento inicial aponta que, dos 900 trabalhadores da refinaria, há mais de 60 trabalhadores afastados por causa da contaminação, e que um deles está hospitalizado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A Petrobras confirmou a ocorrência de casos, mas não detalhou quantos trabalhadores foram contaminados. O sindicato informou que, em apenas uma das unidades da refinaria, a Rlam (U-39), metade dos trabalhadores está contaminada: 14.

O Sindipetro falou ainda que está com dificuldades de conseguir informações atualizadas sobre os trabalhadores terceirizados, e que na segunda-feira (22) eram 15 pessoas contaminadas com a doença.

O sindicato destacou que os ônibus que levam os trabalhadores terceirizados costumam circular com capacidade máxima, sem respeitar o distanciamento recomendado pelas autoridades sanitárias. A Petrobras não comentou a situação.

Ainda segundo o Sindipetro, os trabalhadores denunciaram que os testes para identificar a Covid-19 pararam de ser feitos e que uma denúncia será levada ao Ministério Público do Trabalho, ao Centro de Saúde do Trabalhador da Bahia (Cesat) e à Superintendência Regional de Trabalho e Emprego.

No entanto, a Petrobras disse que “desde o primeiro reporte de sintomas, a companhia tomou providências para rastrear contatos, realizar testagem para diagnóstico e isolar casos confirmados, suspeitos e seus contactantes”.

A Petrobras disse ainda que os colaboradores estão sendo monitorados por equipes de saúde e que foram tomadas medidas adicionais de higienização, como distanciamento nas instalações e redução das pessoas na refinaria e escalonamento dos horários de serviço das empresas de rotina e parada.

Disse ainda que adota um protocolo rigoroso de prevenção em suas unidades, que inclui ampla testagem, fornecimento e uso obrigatório de máscaras, higienização reforçada, distanciamento e monitoramento de saúde antes do início dos turnos.(G1)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*