Procurar Notícia

Com a Bahia vice-líder na geração de energia eólica do país, Nordeste bate recorde de produção em agosto

Com a Bahia na vice-liderança na geração de energia eólica do país, o Nordeste bateu novo recorde de produção neste mês de agosto. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a energia produzida na região seria suficiente para atender 93,8% da demanda do Nordeste durante 30 dias.

No período de uma semana, foram registrados quatro recordes de geração média da energia e, na sexta-feira (7), mais um, quando os sistemas apontaram que os ventos chegaram a produzir 9.098 megawatts e fator de capacidade de aproximadamente 71,6%, conforme registrou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).
Além de sexta, foram registrados recordes no dia 2 de agosto, com 8.780 megawatts, no dia 5, com 8.854 megawatts, e no dia 6, com 9.049 megawatts de geração média, equivalente a 94% de toda a carga de todo o nordeste. Oitos estados do Brasil produzem energia eólica, cinco estão no nordeste, conforme aponta a ONS.

Os fortes ventos de agosto foram suficientes para atender quase toda a demanda energética da região, e ventos da Bahia mostraram força mais uma vez.

Nos primeiros meses deste ano, a Bahia gerou 31% de energia eólica do país e assumiu a liderança do segmento de energias renováveis, ultrapassando o Rio Grande do Norte na geração de energia eólica. De acordo com a ONS, a Bahia e o Rio Grande do Norte estão sempre disputando o topo e a diferença de produção entre elas é mínima.

Em dez anos, a participação da Bahia na geração eólica, na matriz elétrica no Brasil, cresceu 1.600%. Em 2010 era 0,5%. Este ano passou para 9,4%.

São 170 parques eólicos em operação e mais de 1.300 aerogeradores instalados por toda a Bahia. Além do centro-sul baiano, os cata-ventos gigantescos se concentram nas regiões do centro-norte e Vale do São Francisco, responsáveis por 66% da geração de energia eólica no estado. (G1/BA)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*