Procurar Notícia

Nutricionista explica tudo que você deve incluir e retirar do cardápio no verão

As altas temperaturas representam um inimigo para a circulação sanguínea. Com o excesso de calor, as veias do corpo se dilatam, o que pode causar inchaço, formigamento, sensação de peso e até dor nas pernas e nos pés. Por todas essas razões é necessário que existam alguns cuidados.

De acordo com a nutricionista Dayane Xavier uma das principais providências deve ser com a hidratação, que é essencial para o organismo, uma vez que sem o consumo adequado de água os rins têm mais dificuldade de trabalhar e eliminar metabólitos, dificultando, assim, a regulação da temperatura corporal.

“A pressão arterial tende a aumentar, o coração a fazer mais esforço, as digestões tornam-se mais difíceis e o transito intestinal fica mais lento”, explica a nutricionista.

A desidratação afeta também a pele, as unhas e o cabelo. Por isso, além de uma boa hidratação é essencial também uma dieta que não contenha muito sal e açúcar, pois seu excesso gera inchaço no corpo e incentiva o acúmulo de líquido nas células.

Os principais cuidados devem ser:

• As altas temperaturas favorecem a perda hídrica por meio do suor, dessa forma a reposição da água deve ser constante. Mantenha a hidratação mesmo que não sinta sede;Leia mais...

• Optar por alimentos leves de fácil digestão, ricos em vitaminas, minerais, fibras e água;

• Evitar bebidas alcoólicas, excessivamente açucaradas ou com cafeína, pois contribuem para a perda de água.

Cuidado com a digestão 

• Evitar frituras, alimentos gordurosos, queijos amarelos, pratos a base de creme de leite, maionese, e com muito sal. “Além de proporcionar uma digestão mais lenta, o sal colabora na retenção de líquidos”, explica a nutricionista

• Evitar feijoadas e preparações com muito azeite e leite de coco, como vatapá, caruru e moquecas, pois levam um tempo maior para a digestão;

• Moderar na combinação de massa e carne vermelha na mesma refeição. “Essa dupla dificulta a digestão e favorece o “efeito estufa””.

O que está liberado

Os alimentos que devem ser privilegiados são os refrescantes, leves e de fácil digestão:

• Frutas com alto teor de água (melancia, melão, abacaxi, caju, maracujá, uva e laranja);

• Saladas cruas com vegetais variados (alface, acelga, agrião, espinafre, beterraba, cenoura, pepino e tomate);

• Carne, com pouca ou nenhuma gordura aparente, como frango e peixes;

• Água, água de coco e sucos de frutas sem adição de açúcar;

• Dar preferência aos sorvetes e picolés de frutas;

• Aumentar a ingestão de alimentos fonte de selênio e vitamina E que auxiliam na proteção da exposição solar: oleaginosas (amendoim, castanhas, amêndoas, nozes), gérmen de trigo e semente de girassol;

• É preciso ter cuidado com frutos do mar – estão entre os alimentos que mais causam alergia e todo o cuidado é pouco para pessoas que tem asma e rinite, pois têm mais propensão a ter problemas com esses alimentos – mas qualquer pessoa pode desenvolver. “Quem já tem alergia a esses alimentos, ou demonstrou algum tipo de reação alérgica, o ideal é não consumir” alerta a nutricionista.

Os sucos são os fortes aliados da diurese por ter uma alta quantidade de água em sua composição por isso são ótimos na hidratação do corpo, além de ajudar no combate à retenção de líquidos e auxiliar na eliminação do inchaço.

Algumas dicas de sucos

• Melancia, limão e canela em pó;
• Melão, hortelã e água de coco;
• Morango, limão e chá de erva-cidreira;
• Abacaxi, cenoura, gengibre e hortelã;
• Limão, pepino e aipo

E o consumo na praia?

Para não estragar o passeio, a nutricionista sugere evitar queijo coalho, ostras ou embutidos de ambulantes que não estejam seguindo adequadamente as medidas de conservação dos produtos, pois a falta de higienização e de refrigeração inadequada pode estragar os alimentos e causar intoxicação alimentar – os sintomas: diarreia, febre, náuseas e vômitos, que podem levar à desidratação.

“Muitos destes produtos são perecíveis e na praia a conservação é mais difícil, facilitando o crescimento e a proliferação de microorganismos nos alimentos”.

Para que não ocorra esse problema a nutricionista indica alguns cuidados:

• Alimentos que necessitam de refrigeração, como queijos, iogurtes e carnes, devem ficar o menor tempo possível expostos à temperatura ambiente;

• Utilize bolsa térmica para transportar produtos que precisam de refrigeração;

• Compre frutos do mar e pescados em locais fiscalizados e autorizados pela vigilância sanitária, pois são produtos mais suscetíveis à deterioração bacteriana;

• Higienize bem as mãos antes de preparar alimentos e fazer refeições;

• Observe as condições de higiene dos restaurantes e quiosques localizados na praia;

• Evite alimentar-se em locais que não estejam higienizados;

• Evite ingerir alimentos com molhos à base de ovos ou creme de leite, especialmente se não estiverem refrigerados.
(iBahia)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*