Procurar Notícia

Repórter que acusou Datena de assédio desabafa, revela pressão e diz que não mentiu

Em uma carta aberta divulgada em seu perfil no Instagram, a ex-repórter da Band Bruna Drews, desabafou sobre o processo que envolve a acusação de assédio sexual sofrida e que tem como réu o apresentador do “Brasil Urgente”, José Luiz Datena.

Logo no início dos relatos, Drews contou que foi pressionada a fazer o registro de um documento, mas esclareceu que não mentiu quando entrou com uma ação na Justiça pelo fato ocorrido em janeiro deste ano. 

“Eu não menti. Fui induzida e mal orientada a assinar um documento que não condiz com a realidade. A verdade é que meu processo de assédio sexual contra o apresentador inexplicavelmente foi arquivado. Não houve investigação policial, meu depoimento não foi colhido e nenhuma testemunha foi ouvida. A justiça não me permitiu brigar pelos meus direitos”, reclamou. 

O tal documento que foi registrado em cartório e veio a público através de um divulgação do próprio apresentador, inocentou Datena das acusações e fez com que Bruna tornasse, agora, alvo da Justiça por um processo movido pelo comandante do “Brasil Urgente”. 

“A situação se inverteu e acabei processada por calúnia e difamação, mas não tinha condições psicológicas e financeiras para encarar mais esta briga. Fui induzida a fazer um acordo. No entanto, não estava totalmente consciente das consequências cíveis e criminais de declarar fatos que não aconteceram; somente o fiz porque pensei que assim se encerrariam todos os processos. Os fatos aconteceram como eu havia declarado inicialmente mas a outra parte envolvida conseguiu reverter inexplicavelmente a situação. Assinei tal carta na intenção de recuperar a minha saúde física e mental e enterrar o ocorrido” disse. 

Por fim, Bruna Drews contou sobre as dificuldades em seguir com um processo do tipo na Justiça e reiterou que não mentiu ao acusar Datena de ter cometido o assédio. Além disso, ela esclareceu que ao mudar de posicionamento na última carta divulgada, ela não tomou a atitude por ter recebido algum dinheiro em troca.

“Em uma reunião com meus familiares, que sofrem junto comigo todos os reflexos do ocorrido, decidimos não fugir da luta e acreditar que em algum momento a Justiça será feita. Mais uma vez digo: Eu não menti. Mulheres que passaram por isso sabem como é difícil encarar essa briga e vencê-la. Por último, quero deixar claro que não recebi nenhuma compensação financeira para cometer o ato errôneo de assinar a tal carta. Sigo com a minha moral e integridade intactas. Minha consciência está tranquila. Tudo o que eu mais quero é me livrar de uma situação que estava acabando com a minha saúde”, finalizou.

Em conversa com o portal Universa, do UOL, Bruna revelou que depois de enfrentar o apresentador na Justiça adquiriu estresse pós-traumático pelo trabalho realizado na emissora e se aposentou por invalidez no INSS. “Eu assinei a carta na esperança de respirar, de me livrar daquilo. Mas eu reitero que o assédio aconteceu. Temia pela minha integridade, mas não vou mais temer”, completou.(Bahia Noticias)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*