Procurar Notícia

Mel com açafrão - o antibiótico mais potente que nem mesmo os médicos podem explicar

A cúrcuma tem sido comumente usada na cozinha e medicina indianas, chinesas e ayurvédicas por séculos. Tem uma cor amarela profunda e um sabor característico, mas sua popularidade é principalmente devido à infinidade de propriedades medicinais que oferece.

A cúrcuma efetivamente trata espasmos musculares, cortes menores e feridas, problemas respiratórios, condições de pele, doenças do fígado, entorses musculares, infecções, indigestão, inflamação, problemas gástricos e até câncer.

Isto é principalmente devido ao seu ingrediente ativo, a curcumina, que possui poderosas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e antimicrobianas.

A curcumina evita gastrite, micróbios, úlceras pépticas e gástricas e H. pylori e afeta positivamente o DNA, moléculas de inflamação e a sobrevivência celular.

A cúrcuma alivia os sintomas da osteoartrite. Além disso, a turmerona, outro ingrediente que contém, aumenta a função do cérebro, repara as células cerebrais e combate a doença de Alzheimer.

De acordo com a pesquisa, a curcumina tem uma influência positiva sobre o DNA, sobrevida celular e sobre as moléculas da inflamação.

Aqui está como preparar um antibiótico natural da cúrcuma:

INGREDIENTES:

Uma colher de sopa de açafrão
100 gramas de mel orgânico

INSTRUÇÕES:

Em uma jarra de vidro, basta misturar os dois ingredientes.


Dose recomendada
Para tratar os sintomas da gripe e do resfriado é recomendável tomar meia colher de chá da mistura a cada hora durante o primeiro dia e então reduzir a dose de meia colher para cada duas horas.

Para tratar doenças respiratórias, recomenda-se tomar 3 colheres de sopa por dia durante uma semana inteira.
Pode-se diluir em um copo de água em caso que não se suporte o gosto tão doce.

Recomendações

Este remédio deve ser evitado por quem sofre de alguma doença biliar, pois o açafrão causa a contração da vesícula biliar.

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*