De motorista de Uber a entregador, baiano supera dificuldades e lidera ranking mundial de Jiu-Jitsu

O baiano Sérgio Rios, de Campo Formoso, a cerca de 400km de Salvador, superou as dificuldades da vida e chegou ao ponto mais alto do ranking mundial de Jiu-Jitsu. Sérgio Pichilinga, como é conhecido, agora é o nome a ser batido em um dos rankings mais disputados do planeta, o da principal divisão da UAEJJF, a Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos. Este feito veio a acontecer após o faixa preta vencer quatro torneios seguidos nas últimas semanas, todos disputados na Europa, chegando aos 620 pontos e abrindo 120 de vantagem para o segundo colocado no ranking, que é o atleta Antônio Júnior, radicado no Reino Unido. Em relação ao terceiro colocado a vantagem é ainda maior: 340 pontos. Ao lado a foto de Sérgio Rios segurando a bandeira da sua cidade, Campo Formoso-BA.

VIDA DE LUTAS - Assim como diante de seus adversários, o baiano que ganhou o mundo precisou derrubar outros obstáculos. Os treinos acontecem duas vezes ao dia, de segunda a sexta, mas é preciso dividir o tempo também com os trabalhos em uma empresa de entregas, como motorista de Uber, professor de jiu-jitsu e ainda alguns "extras" como segurança em alguns finais de semana. "São trabalhos bem flexíveis, que não atrapalham tanto em meus treinamentos e desse jeito consigo o dinheiro de pagar as contas do dia-a-dia", explica o lutador. O dinheiro que consegue juntar serve ainda para garantir ao menos uma vez por ano o retorno à terra natal, para rever amigos e familiares em Campo Formoso. Ainda este ano Sérgio retorna ao Brasil para a disputa brasileira do Grand Slam, que acontecerá no Rio de Janeiro, entre os dias 16 e 18 de novembro. A temporada segue até 2019 e se encerra em abril, com o Campeonato Mundial, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes. Além de poder fechar a temporada como líder do ranking, o baiano poderá também se tornar campeão mundial de Jiu-Jitsu. (Bocão News)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*