Contato direto dos pais com bebês prematuros fortalece o vínculo e diminui estresse

Um estudo americano revelou que o contato pele a pele entre pais e bebês prematuros têm um efeito positivo para ambos, conforme as informações da Revista Crescer. Isso porque o estímulo aumenta os níveis de ocitocina, hormônio relacionado ao vínculo materno, e diminuindo a quantidade de cortisol, ligado ao estresse, segundo a pesquisa da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos. Para os pesquisadores, o contato direto ainda na UTI neonatal pode reduzir o risco de atrasos de desenvolvimento neurológicos ligados à prematuridade. “O toque dos pais, especialmente durante o contato pele a pele, tem o potencial de reduzir as consequências adversas”, explicaram no artigo publicado pela Associação Nacional de Enfermeiros Neonatais dos EUA. O estudo analisou amostras de saliva de bebês prematuros, nascidos na 33ª semana de gravidez, e dos pais, enquanto os recém nascidos recebiam cuidados na UTI neonatal. Apesar do quadro especial, as crianças manteram um quadro de saúde estável até receberem alta. Segundo a Crescer, os testes serviram para mostrar os níveis de hormônios dos participantes antes e depois do contato direto. “As mudanças nos níveis de ocitocina e cortisol fornecem um suporte robusto para defender o aumento do contato pele a pele durante a infância, especialmente para prematuros na Uti Neonatal”, completaram. (Bahia Notícias)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*