Procurar Notícia

Dormir bem emagrece e alisa a pele

Noites seguidas de sono insuficiente provocam uma série de alterações no organismo e, consequentemente, efeitos nada desejados. Por outro lado, dormir bem é uma ótima estratégia para se manter saudável – e até ajuda a emagrecer, sabia? “Longe de ser desperdício de tempo, dormir é essencial para recuperar parte da energia gasta durante o dia”, diz Silvio de Araújo Fernandes, fisioterapeuta, de São Paulo. Confira os benefícios de dormir bem. 

Quilos a mais
As razões do ganho de peso são hormonais. Enquanto você dorme, sua produção de leptina, da saciedade, aumenta, enquanto a de grelina, responsável pela fome, diminui. Poucas horas sob os lençóis inverte essa gangorra. Essa desregulagem diminuirá o ritmo do metabolismo e você fica com menor queima calórica e maior armazenamento de gordura. Quem dorme pouco também produz mais cortisol, o hormônio do stress, responsável pela resistência à insulina – outro fator que leva ao ganho de peso e ao diabetes tipo 2. Descansar bem, ao contrário, faz aumentar a produção de serotonina, neurotransmissor que provoca sensações agradáveis, além de diminuir a vontade de comer doces. O cérebro também ordena a produção do hormônio do crescimento, o GH, que acelera o metabolismo, freia a ação do tempo sobre as nossas células e age a favor da massa magra.

Somar anos ao semblante
“Para além das olheiras e do aspecto cansado, a adrenalina, outro hormônio do stress, induz à compressão dos vasos sanguíneos periféricos que irrigam a epiderme, diminuindo a circulação do sangue no rosto e deixando a pele sem viço”, fala Dalva Poyares, neurologista do Instituto do Sono, em São Paulo, e professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Durante o repouso, o organismo combate com mais facilidade os radicais livres, que podem causar envelhecimento precoce e até mesmo tumores. É que a escuridão leva à produção da melatonina, o hormônio que, além de induzir o sono, é um poderoso antioxidante.

Aumentar o risco de doenças
Sem o descanso noturno, o corpo libera menor quantidade de interleucinas, substâncias que agem contra vírus e bactérias. Também pode desencadear depressão e, segundo o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, alguns tipos de tumor.

Diminuir a libido
O stress prolongado por déficit de sono interfere até mesmo na disposição para o sexo. Se o sono não é reparador, o corpo sofre uma descarga considerável de cortisol e adrenalina, hormônios diretamente ligados à sensação de cansaço. Segundo um estudo da Fundação Nacional do Sono, nos Estados Unidos, dormir pouco pode, ainda, diminuir a intensidade do orgasmo. O sexo é um tranquilizante natural. Ao atingir o clímax, saem de cena os hormônios do stress para dar lugar às relaxantes endorfinas, que fazem o cérebro e o organismo funcionarem melhor, interferindo diretamente na qualidade do sono. De quebra, essas substâncias têm ação analgésica e aumentam a tolerância às dores de um modo geral, incluindo as musculares pós-exercício.

Antes que seja tarde
Prolongar as noites mal dormidas desencadeia outro distúrbio: insônia. Isso porque seu organismo pode estranhar quando você resolver retomar o padrão normal de sono, com hora certa para dormir e acordar. Ela pode ser transitória, transtorno que é pontual, mas existe o risco de se tornar crônica – um quadro mais grave e persistente.

Mulheres em claro
As mulheres, provavelmente por razões hormonais, são as mais afetadas pela insônia crônica. Sofre desse mal quem não dorme bem três vezes por semana por mais de três meses, segundo Rosa Hasan. “As madrugadas em claro podem ser sintomas de alguma doença psíquica, de ansiedade a depressão ou física como problemas renais, que obrigam a várias idas ao banheiro”. Entre os insones crônicos, encaixam-se tanto os que têm dificuldade de pregar os olhos como os que sofrem de acordar antes da hora.

Aprenda a dormir melhor
-Deixe o quarto totalmente escuro (sem luz indireta da TV ou do computador) para estimular a secreção da melatonina. A temperatura ambiente também deve estar agradável e as roupas adequadas para que você não sinta frio ou calor.
-Crie uma rotina de relaxamento antes de ir para a cama. O que funciona: banho quente, meditação, música suave, leitura e pensamentos agradáveis.
-Jante três horas antes de ir para a cama, evitando comidas calóricas. Assim, a digestão fica mais fácil.
-Fumo, café e álcool são estimulantes do sistema nervoso central. Abstenha-se deles pelo menos três horas antes de ir para a cama.(BF)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*