Luís Eduardo Magalhães: Para evitar desperdício, empresários criam prateleira solidária em mercado: 'Tá com fome? pode pegar'

Um casal dono de um supermercado na cidade de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia, criou uma prateleira solidária que tem dado o que falar na região. A iniciativa foi tomada, conforme os empresários, para evitar o desperdício de alimentos que não seriam aproveitados para venda. Qualquer pessoa pode chegar e levar pra casa. "Tá com fome? Pode pegar, mas pegue o necessário, pois tem mais pessoas com fome também", avisa uma placa na frente da pratileira onde os alimentos foram disponibilizados. "Desde o início a gente já tinha esse projeto de estar passando para as pessoas que precisam, mas, como a gente vê a necessidade delas de entrar no mercado e a vergonha também de chegar até a gente pelo mercado estar cheio, então, a gente falou assim: 'vamos colocar uma coisa mais fácil, onde elas mesmas peguem'", contou o comerciante Alisson Murilo. O estabelecimento fica na principal avenida do bairro Mimoso II, um dos mais populosos da cidade. Todos os dias sobram cerca de 20 kg de frutas, verduras e outros alimentos. E, ao invés de jogar no lixo, os donos decidiram doar para quem precisa. A banquinha com os produtos fica na porta do mercado. Tem fruta, verdura, biscoito, macarrão e outros produtos. Érica Barreto, uma das donas do supermercado, é quem seleciona o que vai ser doado. Ela acredita que a iniciativa pode incentivar mais gente a fazer o bem. "Nós, como comércio pequeno, a gente joga, em média, 20 kg de frutas e verduras todos os dias fora. Então, é muito melhor a gente abençoar, muito melhor a gente dar para o cidadão", disse a comerciante Érica Barreto. A atitude dos empresários surpreendeu muita gente, principalmente quem precisa, como o catador de papelão Ailton Ribeiro. Ele tem três filhos e, nem sempre, o dinheiro que ganha com a reciclagem dá comprar comida para a família. No entanto, ele pega apenas o necessário. "Tem que deixar para os outros também, né. Tem outras pessoas que precisam. Tem uns que vão passar por aqui também e vão precisar", disse o catador Ailton Ribeiro. A dona de casa Maria da Conceição também se sentiu beneficiada com a boa ação do casal dono do supermercado. Ela e os filhos moram pertinho do estabelecimento, mas, com o marido desempregado, ela demorou de voltar a fazer as compras. Ao saber da prateleira solidária, dona Maria foi ao mercado e pegou alguns produtos para abastecer a dispensa em casa. "Eu trouxe macarrão, feijão, milharina, tomate e pimentão. Eu agradeço muito a ela. E que sempre Deus dê em dobro para eles", falou Maria. (G1/Ba)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*