Benefícios das brincadeiras infantis no desenvolvimento da criança

As brincadeiras têm um papel fundamental para o crescimento e das crianças. É através delas se desenvolvem, exploram características de personalidade, fantasias, medos, desejos, criatividade e elaboram o mundo exterior a partir de seu campo de visão. Para a psicopedagoga especialista em educação e educação especial, Ana Regina Caminha Braga, a criança precisa experimentar, ousar, tentar e conviver com as mais diversas situações. Brincar com outras crianças, com adultos, com objetos e com o meio. A especialista separou cinco brincadeiras tradicionais que podem ajudar no desenvolvimento dos pequenos. Confira!

Stop: Separem canetas e folhas de papel. Agora escolham as categorias, por exemplo, nome, animal, cor e frutas. Façam uma tabela com colunas e coloque uma categoria em cada uma delas. Para a especialista o Stop é um clássico. Brincando você trabalha a interação e a comunicação. Você ajuda a criança a desenvolver habilidades como raciocínio, memória, agilidade, espírito de competição e liderança.

Amarelinha: Joga, pula, agacha e pega a pedrinha! Tudo isso sem pisar na linha, é claro. Para brincar de amarelinha, desenhe um caminho no chão e divida-o em casas numeradas de 1 a 10. “Com a amarelinha, a criança trabalhada a questão de lateralidade, seu equilíbrio, a matemática, a lógica e a compreensão do que deve ser feito”, explica.

Passa Anel: Tudo que você vai precisar aqui é de um anel e um espaço para sentar com os pequenos. Para começar o jogo, uma criança fica com o anel, enquanto as outras do grupo se sentam uma ao lado da outra com os braços apoiados no colo e com a palma das mãos unidas. A criança com o anel, deve passá-lo entre a palma das mãos dos amiguinhos. Essa brincadeira estimula o trabalho em equipe entre as crianças, além do respeito ao próximo, já que ele tem que esperar a resposta e a participação de cada colega.

Bolinha de gude: Aqui a criança aborda questões de lateralidade já que o objetivo do jogo é acertar as bolinhas no buraquinho cavado, envolve um pouco das habilidades matemáticas para somar ou subtrair as bolas. Conhecer o momento em que ganhou e perdeu no jogo.

Pular elástico: Essa brincadeira é clássica, e vai ficando mais difícil com a altura, que começa nos calcanhares e vai até o pescoço. O ideal é que duas crianças fiquem 2 metros afastadas uma da outra, enquanto a outra se posiciona no centro do elástico para fazer todos os movimentos da cantiga. Braga conta que essa brincadeira ajuda as crianças a trabalhar com os movimentos do corpo, mobilidade e flexibilidade, além de servir como um exercício. (BN)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*