Ativos anti-idade: conheça os principais aliados da pele firme e lisinha

Retinol

Extraído da vitamina A, o retinol se transforma em retinoldeído e depois em ácido retinoico. Renova as células e estimula a produção de colágeno. “A concentração de retinol permitida em cosméticos cresceu de 0,075%, que praticamente não produzia nenhum efeito, para 0,3%”, explica Ediléia Bagatin, professora do departamento de dermatologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O objetivo é fazer com que a ação dele se aproxime o máximo possível da do ácido retinoico, que é um medicamento. “Outro avanço foi o nanoencapsulamento, que, além de proteger o retinol da degradação e, assim, garantir que seja mais eficiente do que antes, permite que ele irrite menos a pele, seja mais bem absorvido e tenha um efeito mais prolongado, já que é liberado aos poucos”, diz a doutora em fármacos e medicamentos Vânia Leite, também professora da Unifesp.

Vitamina E

Tem efeito antioxidante, protegendo contra os radicais livres. O que mudou ao longo dos anos foi que as pesquisas passaram a comprovar a eficiência do ativo tanto para o cabelo como para a pele. E, como é uma substância de fácil manipulação, a indústria tem inserido a vitamina E em vários cosméticos, de hidratantes a filtros solares.

Ácido glicólico

Além de melhorar a textura da pele, também combate cravos e diminui os poros. Por isso, é indicado para o tratamento da acne. No passado, o ácido glicólico era utilizado apenas como esfoliante. Agora, é possível controlar o pH dele para que possa ser mais neutro e, além de agredir menos, atuar também como hidratante.

Ácido hialurônico

Presente naturalmente na pele, atua como hidratante, já que atrai e retém a água. A fragmentação do ácido hialurônico em partículas menores tem permitido melhores resultados nos cosméticos.

Vitamina C

Potente antioxidante, costuma ser associado ao retinol. “Há estudos que comprovam que ela também estimula a produção de colágeno“, diz Ediléia. Com a chegada das nanopartículas, que protegem a vitamina da degradação, ela voltou ao centro das atenções. A concentração também aumentou – até 15%.

Extratos vegetais

A principal função deles é a antioxidante, embora ainda faltem estudos de longo prazo que comprovem os efeitos. A tendência é combinar o uso tópico com o oral. Já existem várias opções de comprimidos antioxidantes. “O que mudou nos ativos vegetais foi a forma de extração. Antes, eles eram retirados com a utilização de infusões e solventes. Só que o calor e os produtos químicos danificavam as estruturas das plantas e diminuíam seus efeitos. Agora, existe a extração por pressão, que mantém as propriedades”, esclarece Vânia.

Ácido salicílico

Além de esfoliante, controla a oleosidade e tem propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias. “Hoje, o ácido é encapsulado em ciclodextrina, que se assemelha a pequenos cones de açúcar. Em contato com a pele, essa estrutura vai se desfazendo lentamente e liberando, aos poucos, a substância. Com isso, há menos irritação”, detalha Vânia. (BF)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*