Caneta com tinta que apaga é usada para tentar fraudar compras de carros em cartório de cidade da BA

Polícia Civil de Luís Eduardo Magalhães, na região oeste da Bahia, apura tentativas de golpe na compra de carros na cidade com a utilização de uma caneta que possui tinta que apaga. Em 2018, quatro tentativas de fraudes desse tipo foram contabilizadas no cartório da cidade. O crime consiste em utilizar a caneta para assinar documentos a serem oficializados nos cartórios e, em seguida, apagar o que foi escrito. Na compra de carros, por exemplo, segundo a polícia, a intenção de quem apaga os dados dos documentos é adquirir um determinado veículo sem, no entanto, transferi-lo para o novo dono. Com isso, eventuais multas que o veículo possa ter após o negócio, por exemplo, resulta em infração para o antigo dono e não para o novo proprietário. "[Caso o veículo não seja transferido para o nome do comprador] pode acontecer muitas coisas. Você pode levar multas, esse carro pode ser tombado e tudo que acontecer com o veículo vem para o seu nome e não para o nome de quem comprou, porque não foi transferido, não foi feita a coisa correta", destaca a coordenadora interina da regional de trânsito da cidade, Eliania Rabelo. A tabeliã Ana Paula Koerner diz que todos os funcionários do cartório da cidade já foram orientados a identificar as possíveis tentativas de fraudes. "A partir do momento que a gente constata a utilização dessa caneta, a gente retém o documento, encaminha para a delegacia e para o juiz corregedor. É a praxe para que seja dada segurança jurídica", destaca. 
As pessoas que forem flagradas tentando praticar esse tipo de crime podem responder por estelionato e falsidade ideológica, como explica o delegado Leonardo Mendes. "A gente pode descambar para dois tipos de crime: o estelionato e o de falsidade ideológica, que é quando você insere no documento público ou particular dados que não condizem com a realidade. São crimes que podem resultar em penas de até cinco anos. São crimes de altíssima gravidade", afirma. (G1)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*