Feira de Santana: Estudante de 16 anos é achada morta dentro de saco após ficar mais de 2 dias desaparecida

A adolescente de 16 anos que desapareceu em Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, no domingo (18), foi encontrada morta na manhã desta quarta-feira (21). O corpo da estudante Bruna Santana Mendes estava dentro de um saco, em estado avançado de decomposição, o que, segundo a polícia, indica que ela foi morta há alguns dias. Bruna desapareceu após marcar encontro com um amigo da mesma idade em um shopping da cidade. Desesperados, familiares da jovem chegaram a divulgar uma foto dela em redes sociais e a divulgar cartazes, com o intuito de receber alguma informação sobre seu paradeiro. A ocorrência sobre o desaparecimento da jovem foi feita na segunda-feira (19), menos de 24 horas depois de ela ter sido vista pela última vez. A polícia detalhou que a vítima foi encontrada apenas de calcinha e tênis, o que levanta a suspeita de que houve crime sexual. O corpo estava em uma localidade conhecida como Anel de Contorno, que fica nas proximidades do bairro Jardim Cruzeiro, onde ela estava hospedada na casa de familiares há cerca de 15 dias. O corpo foi encontrado depois que populares relataram forte odor no local.
Moradores disseram ter visto o saco na área desde segunda-feira pela manhã, segundo a polícia. "Hoje pela manhã, por volta das 9h, a polícia foi acionada e informada que havia um saco com umn mau cheiro, um odor. E, chegando lá, foi realizado levantamento cadavérico e realmente foi constatado que era a menor Bruna Santana. Tinha sinais de violência e o corpo foi encaminhado para o DPT e nós só vamos ter a certeza depois do laudo. Provavelmente, foi vítima de violência sexual, mas não pdoemos dar certeza ainda", disse a delegada Bianca Torres, que investiga o caso.

Caso 
A mãe de Bruna, a dona de casa Solange Ferrreira Santana, de 40 anos, disse que a filha saiu da cidade de Barro Preto, onde mora com ela e o padrasto, para Feira de Santana, há 15 dias, para fazer exames médicos e tirar alguns documentos pessoais. Em Feira, estava na casa de um primo, localizada no bairro Jardim Cruzeiro. "No domingo, no final da tarde, ela avisou ao primo e à mulher dele que queria sair para se encontrar com um amigo no cinema no Shopping Boulevard. A mulher do primo dela foi levá-la no local, por volta das 14h30, e combinou com ela de ir buscá-la no final da tarde, às 17h. No shopping, ela foi deixada com esse amigo", disse Solange. A mãe relatou que, no final da tarde, quando a mulher do primo de Bruna foi buscá-la no estabelecimento comercial não a encontrou e retornou para o bairro onde mora, para tentar localizá-la na casa dos parentes. Conforme o depoimento do adolescente de 16 anos à polícia, após não conseguir se encontrar com a mulher do primo, Bruna relatou que estava se sentido mal, com tontura e enjoo e disse que queria ir para casa. O jovem afirmou que ofereceu carona a ela, pois estava de moto, mas disse que ela recusou e que preferiu voltar com um motoboy. Os dois, então, segundo depoimento do jovem, chamaram um motoboy, que, por R$ 12, teria levado Bruna até o bairro Jardim Cruzeiro, onde fica a casa do primo. À polícia, o adolescente contou que anotou o nome do motoboy e a placa do veículo dele. A delegada Bianca Torres, que investiga o caso, disse que o motoboy também já foi ouvido pela polícia. Ele contou que deixou Bruna na calçada de uma casa vizinha à do prima dela e que, depois, saiu do local. A delegada afirma que a versão do motoboy está de acordo com o depoimento de outra pessoa ouvida pela polícia que viu quando a moça foi deixada por ele no Jardim Cruzeiro, por volta das 19h do domingo. Depois disso, Bruna não foi mais vista. A mãe da jovem disse ao G1 que não conhecia pessoalmente o amigo de Bruna que a convidou para ir ao cinema. Afirmou que conhecia apenas um tio dele. A delegada Bianca Torres disse que Bruna e o adolecente namoravam e que os dois haviam se conhecido na cidade de Barro Preto. A mãe contou que a jovem não costuma sair de casa e que foi a primeira vez que foi para a residência do primo, em Feira. Disse, ainda, que Bruna não levou o celular para o shopping, pois o aparelho estava com defeito -- o celular foi deixado por ela na casa do primo. A delegada Bianca Torres informou ao G1 que já solicitou as imagens das câmeras de segurança do shopping e dos locais por onde Bruna teria passado no dia em que desapareceu. (G1)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*