Se está amamentando, não beba café: veja este e outros mitos

Durante a gravidez você passou a ter uma alimentação mais equilibrada, deixou de beber e adotou mais hábitos saudáveis. Agora que o bebê nasceu, há novos cuidados a ter, principalmente sobre o que deve e não deve fazer enquanto amamenta. O leite materno pode gerar diversas dúvidas. Daqui nascem alguns mitos, dos quais a revista "Parents" apontou os cinco mais comuns e explica porque são mitos e qual a verdade por detrás de cada ideia.

Deve deixar de usar anti-transpirante?

É muito comum encontrar-se nos supermercados anti-transpirantes em vez de desodorantes. Os primeiros, contam com alumínio na sua composição (que impede que o tecido transpire) e que é visto como um ingrediente tóxico para o bebê. Embora um desodorante livre de alumínio seja mais aconselhado, não há relação entre o componente e a questão da amamentação. A exposição do bebê a este ingrediente acontece de forma mais frequente através da comida e não da pele, que mal influencia o leite materno. Ainda assim, o cheiro pode ser muito forte para o bebê - ou seja, as mães amamentando devem considerar mudar o seu desodorante por um sem fragrância.

Pode tomar analgésicos?

A maioria dos analgésicos, como o ipobrufeno, não prejudica as mães na amamentação, segundo um estudo da Academia Americana de Pediatras. Há contudo um número de compostos que devem ser evitados. Por exemplo, medicamentos que contêm descongestionantes na sua composição podem diminuir a produção de leite. Nada como consultar o seu médico sempre que precisar se medicar e recorrer aos medicamentos só mesmo quando achar que um período de descanso em casa não é suficiente.

O café faz mal ao leite materno?

Durante os primeiros meses de vida, o bebê obriga que os pais se levantem várias vezes durante a noite. Por essa razão, a ideia de que o café e o leite materno não têm uma boa relação é bastante assustadora para muitas novas mamães. A verdade é que a porcentagem de cafeína que o bebê absorve é muito baixa - o que significa que até três doses de café diárias deixa a mãe a salvo. O problema apenas se coloca quando essa dose diária de cafeína é excedida (cinco ou seis doses, segundo investigação apontada pela revista "Parents"). Nestes casos, a cafeína pode se acumular no leite, deixando o bebê irritado e inquieto.

Deve cortar nas calorias?

A resposta é não, o que nos leva à boa notícia de que dar de mamar queima em média 500 calorias a mais por dia, o suficiente para ajudar a recém mamãe a recuperar o corpo que tinha antes da gravidez. Além disso, o corpo precisa estar bem nutrido durante o período de amamentação, pelo que especialistas apontam as 1800 calorias como o mínimo diário a consumir (em gordura boa e alimentos completos). Ainda, e por muito que a mãe queira recuperar o seu corpo, é aconselhado que se espere dois meses desde o parto até começar a fazer dieta.

Não pode beber nada de álcool?

Aqui não é mito. O álcool não é, de fato, aconselhado enquanto amamenta. Dá um sabor diferente ao leite materno e habitua o bebê ao sabor do álcool, além de que faz com que a mãe produza menos leite. Um copo de champanhe ou vinho no seu dia de aniversário ou em ocasião especial não é proibido, mas evite fazer do álcool um hábito comum, pela qualidade do seu leite.

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*