Falsos sites imitam lojas famosas nas redes sociais

Sites falsos que imitam famosas lojas de varejo se tornaram mais uma armadilha para os internautas até no Facebook. Segundo a Promotoria de Defesa do Consumidor do Ministério Público de Minas Gerais, as páginas oferecem produtos com preços extremamente atraentes, bem abaixo dos valores praticados no mercado, o que já deveria gerar desconfiança. Geralmente, os consumidores são atraídos para esses golpes por anúncios patrocinados que aparecem na timeline de usuários do Facebook. Nomes e logomarcas costumam ser idênticos ou muito parecidos com os usados pelas marcas verdadeiras. O Ministério Público de Minas também ressalta que geralmente os anúncios são relacionados ao perfil de consumo do cliente, ou seja, relacionados às suas pesquisas, como pacotes de viagens ou produtos específicos, como televisão ou sapato. Para prevenção, a orientação é não clicar no anúncio. Se tiver interesse na compra, ir diretamente ao site. O consumidor que caiu em um golpe deve, com os prints de toda a negociação com URL (endereço) do site em questão, cópia do boleto bancário e comprovantes de pagamento (se foi esta a via escolhida), todos os e-mails trocados com a empresa a respeito da transação, procurar o Ministério Público da sua cidade ou a delegacia, se possível a especializada em crimes cibernéticos, se houver.Uma das orientações que o Procon Estadual do Rio de Janeiro para quem quer comprar pela internet é não clicar em links de ofertas que aparecem em redes sociais ou chegam por e-mail. De acordo com o órgão de defesa do consumidor, o ideal é que o consumidor entre no site da loja e faça as suas compras diretamente lá, para reduzir a possibilidade de golpes. Como se trata de um estelionato, a vítima que cair nesse golpe deve procurar uma delegacia. Desde a criação da coordenadoria de Defesa do Consumidor, o estelionato aparece como o delito de maior incidência. Uma das empresas copiadas pelos criminosos, a Americanas.com informou que essas ofertas do Facebook não procedem. A companhia recomenda que o cliente confira sempre os produtos e seus preços no site, aplicativo e redes sociais oficiais da marca.

E-mail de sincronização de iToken do Itaú também é armadilha:

Criminosos também estão usando um e-mail como armadilha para roubarem dados de clientes do Itaú. A mensagem enviada pelos golpistas afirma que o Dispositivo Consolidado de Segurança iToken Aplicativo encontra-se com uma falha de comunicação com a conta. Segundo o e-mail, esta suposta falha poderia acarretar em prejuízos financeiros, bem como problemas na segurança do acesso digital. Após a mensagem, há um link que supostamente serviria para acabar com a questão. Procurado, o Itaú ressaltou que nunca envia e-mail, SMS nem telefona a seus clientes solicitando senhas, códigos do iToken e/ou dados pessoais. “Especificamente sobre o recebimento desse e-mail, tanto o remetente quanto o link demonstram se tratar de um e-mail falso, enviado na tentativa de realizar transações fraudulentas com o uso dos dados de agência, conta, senha e códigos iToken informados pelos clientes”. A instituição orienta a não clicar no link e enviar o mesmo e-mail para email.suspeito@itau-unibanco.com.br.

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*