PIB da construção cai 6,6% no primeiro semestre de 2017

Levantamento feito pelo Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon), em parceria com a LCA Consultores, aponta que o setor é o componente do Produto Interno Bruto (PIB) que sofreu a retração mais intensa entre todos os segmentos em 2017. No primeiro semestre, o PIB da construção caiu 6,6%, na comparação com o mesmo período do ano passado, motivo principal do mau resultado geral da indústria (-1,6%). Desde o segundo trimestre de 2013, a queda acumulada é de 14,3%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto que o PIB total recuou 5,5% nos últimos quatro anos. No segundo trimestre do ano, o volume de investimentos no país foi de 15,5%, segundo o IBGE, o menor para o período na série histórica iniciada em 1996. Além da crise econômica, que esfriou também o mercado imobiliário, as principais empreiteiras do país sofrem restrições em função de envolvimento nos casos de corrupção desvendados pela Operação Lava Jato. Apesar do déficit, a construção projeta uma leve recuperação no segundo semestre do ano, a partir da segunda alta mensal em agosto, quando 1.017 novos postos de trabalho com carteira assinada foram criados. No acumulado do ano, o setor contabiliza 30.330 vagas formais. Atualmente, há 2,21 milhões de trabalhadores empregados na construção, um milhão a menos do que os 3,21 milhões registrados em agosto de 2013. De acordo com o G1, mesmo com a melhora, o economista da Fundação Getúlio Vargas, Júlio Mereb, estima que o segmento fechará 2017 com queda de 5,7% ante uma alta de 0,8% do PIB nacional.

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*