Alimentação balanceada controle níveis de iodo no organismo

O iodo é um componente essencial dos hormônios da glândula tireóide, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3) e cerca de 70-80% dele é encontrado nessa glândula. Sua absorção é realizada praticamente toda pelo intestino delgado. Quando não há mais a necessidade do iodo ele é excretado pela urina. Ele está envolvido na regulação enzimática e de processo metabólicos, participando do crescimento e desenvolvimento, principalmente do sistema nervoso por participar do processo de mielinização e modular os impulsos sinápticos. O consumo insuficiente pode prejudicar a imunidade e aumentar a incidência de câncer gástrico. A deficiência de iodo resulta em um aumento da glândula tireóide, uma condição chamada de bócio. Já o seu excesso pode promover o hipotireoidismo que interfere na liberação dos hormônios da tireóide, reduzindo sua fração liberada. Antigamente seu consumo era muito deficiente e por isso houve a iniciativa de fortificar os alimentos com o iodo para sanar essa deficiência, o problema é que hoje em dia o consumo de sal, o qual contém iodo, é muito grande o que pode causar ao excesso de iodo na dieta. Daí a necessidade de uma alimentação balanceada. O conteúdo do iodo nos alimentos e a sua ingestão difere de uma região para outra. Suas principais fontes são o sal iodado, leite e ovos, tendo as carnes, algas e cereais como fontes secundárias. Geralmente os vegetais são pobres nesse mineral. Sua recomendação usual para adultos segundo as Diretrizes de Recomendação Internacionais (DRIs) é de 100-150mcg/dia.

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*