SAÚDE: Perguntas e Respostas

Chá e café fazem mal para o coração?
O consumo de café é um hábito bastante difundido na sociedade ocidental. Nos Estados Unidos da América mais de 50% dos indivíduos acima de 10 anos consomem café. O café consumido possui componentes com função biológica, que pode diferir de acordo com o modo de preparo da bebida. Seus grãos possuem substâncias, denominadas “cafestol” e “kahweol”, que elevam os níveis de colesterol, especialmente quando no preparo da bebida não é utilizado filtro (café expresso, turco, escandinavo ou mocha). Além disso, o consumo de mais de cinco xícaras de café pode aumentar discretamente a pressão arterial. Esse efeito é atribuído à cafeína, sendo observado especialmente em quem não consome café regularmente. No entanto, é descrito que o consumo crônico de café diminui casos novos de diabetes e leva à discreta perda de peso. Consumir café com moderação ao longo da vida parece associar-se com proteção cardiovascular. 

O café contém ainda uma série de substâncias com propriedades antioxidantes, os “polifenóis”, que melhoram a capacidade de os vasos se dilatarem, podendo reduzir a pressão arterial, diminuem a oxidação das gorduras, com um efeito global benéfico, ou pelo menos sem efeitos negativos. Vários estudos demonstraram que em populações que consomem café regularmente não se pôde comprovar que o café se associe a um risco aumentado de “pressão alta”. Esses estudos concluíram que não se deve recomendar a pacientes hipertensos que deixem de usar a bebida, e ainda que não se deveriam enfocar apenas os efeitos da cafeína, uma vez que a bebida possui outras substâncias com propriedades que podem ser benéficas, tais como os polifenóis, que são antioxidantes, as fibras solúveis e o potássio.

O chá verde possui cerca de 30% de sua composição sólida de polifenóis, com propriedades antioxidantes e ações na circulação que podem se associar à redução do risco das doenças cardiovasculares. Esses flavonoides causam dilatação das artérias e redução da pressão arterial quando usados em experimentos com animais e mesmo em humanos. Os polifenóis do chá verde promovem dilatação das artérias, impedem a formação de coágulos, diminuem a inflamação e melhoram a sobrevida das células que revestem os vasos sanguíneos. Por esses efeitos, seu consumo pode reduzir os níveis da pressão arterial e o risco de doenças cardiovasculares. Também é descrito que melhora o metabolismo do açúcar em indivíduos com diabetes. O chá verde faz parte da alimentação de populações orientais, como os japoneses, nos quais foi associado à menor mortalidade por doenças do coração, apesar do grande consumo de sal e do grande número de pessoas com pressão alta naquele país.
Maria Cristina de Oliveira Izar - Professora afiliada da disciplina de Cardiologia da Universidade Federal de São Paulo – Unifesp – São Paulo

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*