Malhar em casa é possível, mas exige cuidados

É hora de tonificar os músculos, afinal o verão vem se aproximando. Não gostar ou não ter condições financeiras de frequentar uma academia não é desculpa, pois existe a possibilidade de malhar em casa. Professores de educação física, no entanto, alertam para os desafios de praticar atividades físicas num ambiente que não tem a estrutura perfeita para obter os resultados esperados. “Além dos riscos de não estar sendo acompanhado de perto por um especialista, aquele que malha em casa tem que ter mais força de vontade e disciplina para que os exercícios façam efeitos positivos”, pondera o professor Eduardo Machado de Santana. Professor e um dos proprietários das academias Time of Health (Djalma Dutra e Engenho Velho de Brotas), Machado vê a malhação em casa como uma alternativa. “Melhor que ficar parado, mas tem que se ter muito cuidado”. O professor aponta a postura correta ao fazer as atividades como um dos pontos preocupantes. “O exercício feito com a postura errada pode causar contusões, além disso, tem a questão da promoção de sobrecarga”, acrescenta. 

A sobrecarga é o uso do peso de objetos para causar o desenvolvimento dos músculos ou a sua tonificação com mais eficiência. “Não é aconselhável utilizar qualquer objeto, nem mesmo aqueles alteres feito de cimento. O ideal é o uso de materiais como faixas elásticas, bola suíça, caneleiras e alteres apropriados. É importante que se tenha o controle do peso e que o seu aumento seja progressivo”, explica, lembrando também que um colchonete para fazer os abdominais é muito importante. Além da falta de estrutura oferecida pelas academias, aqueles que querem malhar em casa têm que superar o que para Machado é a maior dificuldade nessas condições: a disciplina. “Não se consegue resultado sem disciplina. Para tanto, a pessoa deve criar uma rotina, determinando um horário do dia para malhar e delimitar um tempo de duração”, disse, lembrando que uma vestimenta adequada é de extrema importância. Outro aspecto que machado chama atenção como sendo um obstáculo ao se malhar em casa é a concentração. “Não se pode iniciar o período de treinamento e ficar interrompendo a todo instante”, explica. Para facilitar a superar este obstáculo, machado indica que todos os aparelhos como computadores, televisão, entre outros que possam chamar a atenção, devem ser desligados durante o período de exercícios.

Orientação
Machado ressalta, no entanto, que a maneira mais segura de fazer o exercício em casa é buscar orientações antes de começar. A internet pode ser uma fonte de informação, “mas há de se ter certos cuidados”. Ele afirma que este tipo de orientação é muito fácil de encontrar, mas é necessário saber quem está postando. “É importante pesquisar para saber a procedência dos vídeos, saber se quem está postando tem formação acadêmica. Existem bons profissionais oferecendo instruções através de vídeos, mas é importante reconhecê-los”, disse.
Outra maneira de se proteger contra eventuais riscos de transformar o que deve produzir saúde e bem-estar em algo indesejável é a busca de profissionais como médicos, nutricionista e até professores de educação física. “Ir a um médico e fazer um check-up completo, inclusive de coração, é necessário. O nutricionista pode tornar as atividades ainda mais adequadas aos objetivos de cada pessoa a partir da atenção ao que comer antes e depois”, ensina.
Já a orientação de um profissional da área de educação física pode ser conseguida através de um personal trainer. “É a maneira mais segura de alcançar bons resultados sem a necessidade de ir à academia. Mas, assim como a academia, se trata de um investimento financeiro”. Segundo Machado, um desses profissionais que vão à casa do cliente e pode inclusive levar equipamentos apropriados para as atividades, varia entre R$ 30,00 e R$ 80,00 a hora aula, em média. (Tribuna)




©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*