Jorge Solla questiona se malas de dinheiro seriam para campanha

Em pronunciamento na Câmara de Deputados nesta terça-feira (5), o deputado federal Jorge Solla (PT-BA) criticou a conivência do prefeito ACM Neto (DEM) com o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), que teve malas de dinheiro apreendidas pela Polícia Federal nesta manhã. “Quem sabe quanto desse dinheiro não era para fazer campanha ano que vem pra tentar fazer ACM Neto governador? Mas o dinheiro sumiu ACM Neto, sumiu Geddel, não vai ter financiamento empresarial pra vocês ano que vem, vai ter é cadeia. Espero que, pela primeira vez, a justiça seja feita”, disse Solla. O deputado destacou, em seu discurso, que mesmo com as provas contra Geddel, ACM Neto "não só mantém a aliança política, como premiará o aliado com a Prefeitura de Salvador em 2018, quando provavelmente sairá candidato a governador do Estado" e deixará o vice, Bruno Reis (PMDB), comandado a capital baiana por dois anos. A Polícia federal deflagrou nesta terça-feira a Operação Tesouro Perdido, com o objetivo de cumprir mandado de busca e apreensão emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília. Após investigações decorrentes de dados coletados nas últimas fases da Operação Cui Bono, a PF chegou a um endereço em Salvador/BA, que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima como “bunker” para armazenagem de dinheiro em espécie. Durante as buscas foi encontrada grande quantia de dinheiro em espécie. Os valores apreendidos serão transportados a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial. (Tribuna da Bahia)

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*