Mais de 83 mil baianos ainda não sacaram o PIS ano-base 2015

Enquanto muitos reclamam de crise financeira, tem gente perdendo a chance de receber até R$ 937. Apenas na Bahia, 83,7 mil pessoas ainda não sacaram o abono salarial ano-base 2015. Em todo o Brasil, o PIS/Pasep foi liberado para 24,25 milhões de trabalhadores, com valores que variam entre R$ 78 e R$ 937, dependendo do tempo de trabalho formal em 2015. Desses, mais de 2,2 milhões de benefícios ainda estão à espera de seus donos. Os dados são da Divisão do Seguro-Desemprego e Abono Salarial do Ministério do Trabalho e indicam, ainda, que a Bahia lidera o ranking dos estados com mais saques pendentes na região Nordeste. Logo após os baianos, aparecem os pernambucanos - 64,7 mil ainda não apareceram para buscar o dinheiro a que têm direito. Já no Ceará, o abono salarial está à espera de 61,3 mil pessoas. No Nordeste, o Piauí se destaca como líder no índice de saques: 96,48%. O estado é, inclusive, o primeiro do Brasil em retiradas até o final de março. Os piauienses já sacaram R$ 201,28 milhões para 274,51 mil trabalhadores e só tem pouco mais de 10 mil benefícios ainda disponíveis. Quem tem direito: O abono salarial ano-base 2015 está disponível para quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 30 dias naquele ano, com remuneração média de até dois salários mínimos. Para ter direito é preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, além de ter seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). O prazo limite para sacar o abono de 2015 é o próximo dia 30 de junho. O calendário para saques do ano-base 2016 ainda não foi divulgado, mas geralmente tem início até o final de julho. Não têm direito ao abono salarial os servidores públicos, empregados domésticos, trabalhadores urbanos ou rurais que estejam vinculados a pessoa física, diretores sem vínculo empregatício, menores aprendizes ou trabalhadores que recebem mais de dois salários mínimos por mês. Valor do abono: O chefe de divisão do Seguro-Desemprego e Abono Salarial do Ministério do Trabalho, Márcio Ubiratan, explica que o valor pago é baseado no salário mínimo vigente, de R$ 937 neste ano, e é proporcional aos meses trabalhados durante o ano-base. “Quem trabalhou por apenas 30 dias receberá o equivalente a 1/12 do salário mínimo, e assim sucessivamente. Para receber o valor integral é preciso ter trabalhado formalmente durante todo o ano de 2015”, explica Ubiratan. O benefício está disponível na Caixa e no Banco do Brasil. A Caixa paga os trabalhadores da iniciativa privada, vinculados ao PIS. O Banco do Brasil paga os servidores públicos vinculados ao Pasep. “São recursos que impulsionam a economia, ajudando milhões de trabalhadores brasileiros, principalmente os mais humildes. Por isso, é importante que todo trabalhador com direito ao abono faça o saque, para não ficar sem esse dinheiro, porque os recursos não ficam acumulados de um ano para o outro”, afirmou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em nota.

0 comentários:

Postar um comentário

©Site fundado: 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos direitos reservados à Jacobina News*