ANS suspende a comercialização de 69 planos de saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai suspender por pelo menos três meses a comercialização de 69 planos de saúde de 11 operadoras. A medida é uma punição devido a reclamações recebidas no terceiro trimestre de 2016 e relativas à cobertura assistencial, como negativas e demora no atendimento. Juntos, os planos de saúde suspensos têm cerca de 692 mil beneficiários. Estes clientes não são afetados pela punição, pois a intenção da ANS é que as operadoras melhorem os serviços prestados aos atuais beneficiários para só então começarem a oferecer serviço a novos clientes. O levantamento das reclamações é feito a cada três meses. A medida levou em consideração 13.956 reclamações recebidas no período de 1° de julho a 30 de setembro. Das 11 operadoras com planos suspensos, uma já tinha recebido a punição no período anterior, nos meses de abril, maio e junho, e 10 não constavam na última lista. Enquanto isso, oito operadoras poderão voltar a comercializar 22 produtos que estavam impedidas de vender.(Agência Brasil)

Culinária de Natal: Terrine de panetone


Ingredientes 
250 g de chocotone ou panetone 
½ lata de doce de leite (200 g) 
½ xícara (chá) de Café Pelé extra forte, preparado (120 g) 
6 colheres (sopa) de calda de chocolate (90 g) 
18 unidades de morangos frescos, higienizados, picados (90 g) 

Modo de Preparo
Corte os panetones ou chocotones em cubos e reserve. Em taças coloque o panetone e umedeça-os com o Café Pelé extra forte preparado. Em seguida e na ordem, coloque o doce de leite, os morangos picados e a calda de chocolate. Leve para gelar por 30 minutos e sirva.

Zumbido em jovens indica futura perda auditiva



Pode reparar: atualmente, os fones de ouvido são quase uma extensão do corpo dos jovens. Só que não desgrudar do aparelho cobra consequências. Ainda mais quando o barulho que sai dele é similar ao de uma casa de show – algo recorrente hoje, como evidencia um trabalho da Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido. Entre os 170 estudantes de 12 a 17 anos que participaram da análise, 95% relataram ouvir música com os fones.Desses, 77% assumiram que deixam o volume alto. Até aí, pouca novidade, certo? Mas, ao serem questionados se já tinham ouvido um zumbido nos últimos 12 meses, 54,7% dos voluntários soltaram um sonoro sim. “O número é alarmante”, diz a otorrinolaringologista Tanit Ganz Sanchez, professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e coordenadora da pesquisa.

De bate-pronto, pode-se concluir que há uma relação direta entre os jovens escutarem música em volumes ensurdecedores e o zunido. O refinamento dos dados revelou, no entanto, que outro fator contribuiria para o problema: uma menor tolerância natural a sons por uma parcela dos adolescentes. Mas calma! Nada de achar que a barulheira está liberada. Ora, não dá para identificar facilmente quais são os indivíduos mais sensíveis ao zunzunzum. Portanto, a exposição a ruídos altíssimos e por longo tempo permanece um dos fatores capazes de causar ou agravar o tinnitus, nome técnico do problema.Embora faça questão de ressaltar que estamos falando de um sintoma e não de uma doença, o otorrinolaringologista Ricardo Testa, presidente da Sociedade Brasileira de Otologia, diz que esse mal parece mesmo estar mais frequente. “E o hábito de ouvir sons altos com fone de ouvido só piora a situação”, salienta. O motivo é relativamente simples: quando as células ciliadas, localizadas no ouvido interno, recebem vibrações sonoras, elas se alongam e encurtam repetidamente. O bicho pega quando nossa música favorita toca e subimos o som sem pudor. Daí, essas estruturas sofrem lesões temporárias ou definitivas. Com isso, as células vizinhas precisam trabalhar em dobro. Como efeito colateral, surge o zumbido.

Por essas e outras, ele é um sinal de que a saúde auditiva não anda 100%. E, de acordo com Tanit, se a molecada continuar nesse ritmo, há grande probabilidade de simplesmente ficar surda lá pelos 30 ou 40 anos. Ainda bem que dá para prevenir esse desfecho. “Recomendamos deixar o volume até a metade do nível máximo. Não mais do que isso”, aconselha a fonoaudióloga Patrícia Cotta Mancini, da Universidade Federal de Minas Gerais.Desligar o aparelho a cada hora de exposição também ajuda. Escute: ninguém precisa abrir mão da trilha sonora para embalar o dia a dia. Mas é essencial zelar pelos ouvidos. Só assim eles continuarão a postos para apreciar os novos estilos e artistas que vão entrar na moda.

Para além da audição

O zumbido gera outras sérias repercussões

Instabilidade emocional

O apitinho chato é considerado o terceiro pior sintoma para o ser humano. Por isso, pode alterar o equilíbrio emocional do indivíduo, gerando ansiedade e depressão.

Dificuldade para dormir

No silêncio da noite, sem a concorrência da barulheira externa (como a do trânsito), o zumbido parece se intensificar. Resultado: pegar no sono vira um verdadeiro desafio.

Perda de concentração

Em locais tranquilos, como escritórios e salas de aula, o zunido é percebido de forma mais nítida, o que pode prejudicar a concentração na leitura e em atividades profissionais.


Escritório muito frio ou quente pode gerar cansaço e problemas de saúde

A temperatura no ambiente de trabalho durante o verão deve ficar entre 23ºC a 26ºC, segundo resolução da Anvisa. Mas quem disse que essa norma acabou com as disputas entre funcionários friorentos e calorentos pelo controle do ar-condicionado?Em busca do próprio conforto térmico, há quem desligue os aparelhos sem abrir as janelas ou abaixe a temperatura ao mínimo possível. Isso pode desequilibrar o clima e levar a extremos, causando infecções respiratórias, alergias e queda no rendimento."O conforto está relacionado ao equilíbrio do corpo humano. Um ambiente de trabalho agradável deve ter a temperatura de acordo com a norma, uma renovação de ar frequente e umidade de, no mínimo, 40%", explica o médico Kleber José Campos, conselheiro científico da APMT (Associação Paulista de Medicina do Trabalho).Suor, irritação, falta de disposição e saídas constantes para "tomar um ar" são situações bastante conhecidas pelos calorentos.

A endocrinologista Laura Ward, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, explica que espaços muito quentes, assim como os muito frios, geram um gasto energético no corpo para que ele se adapte à temperatura externa. Neste caso, com a transpiração."Com isso, sobra menos energia para outras funções do organismo, afetando aquelas ligadas ao sistema nervoso central, como a concentração", explica.O estudante de relações públicas Lucas Menezes, 22, sabe bem o que é isso. Ele chega às 11h ao estágio, em uma start-up de cupons para compras on-line, e liga todos os aparelhos de ar-condicionado do lugar a cerca de 20ºC."O calor me deixa indisposto e, às vezes, dá até dor de cabeça. Preciso do aparelho em uma intensidade forte", diz ele. "Talvez porque eu seja gordinho."A atitude não agrada em nada a publicitária Luíza Cardoso, 25, sua colega de trabalho. Ela chega ao escritório às 8h e, até a chegada de Menezes, mantém o ar desligado. "O frio me causa muito desconforto. E nem consigo esquentar as mãos porque trabalho digitando", diz.A solução encontrada pelos dois foi trocar de lugar entre si. "Melhorou bastante", garante ela, que tem sempre um casaco a tiracolo. Com a chegada do verão, porém, a situação deve ficar pior para Cardoso. "É a época em que as pessoas exageram no frio."

POLO NORTE

Segundo um estudo publicado pela Universidade Cornell (EUA), em 2004, funcionários tendem a cometer mais erros em escritórios e lugares com temperaturas mais geladas. A pesquisa mostrou que, quando a temperatura passa de 20ºC para 25ºC, os erros de digitação caem 44% e a produtividade aumenta em mais de 100%."O frio leva ao aumento de movimentos involuntários do corpo para que seja aquecido, como os tremores, e à perda dos voluntários, o que dificulta o movimento dos dedos e atrapalha a digitação", explica Campos, da APMT.Temperaturas muito frias no trabalho também podem afetar a saúde dos funcionários, levando a infecções respiratórias e à piora de alergias, explica José Eduardo Cançado, presidente da SBPT (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia)."O corpo vai gastar mais energia para manter temperatura interna e, com isso, sobra menos para as células de defesa, reduzindo a imunidade", explica. Gripes, sinusites e amigdalites estão entre as consequências.

Além disso, o frio deixa o ar mais seco, o que causa o ressecamento das mucosas e piora alergias respiratórias. "É importante aplicar soro fisiológico de duas a três vezes por dia para umedecê-las", afirma o pneumologista.Oscilar entre lugares frios e quentes ao longo do dia é também um problema, afirma Cançado. "O corpo não consegue se adaptar a mudanças bruscas de clima, aumentando o risco de crises respiratórias."A assistente de comunicação Laura Loyo, 22, funcionária de uma start-up de educação a distância, teve que trocar de lugar após ficar com dor de garganta por causa do ar-condicionado. "Foi uma decisão triste, eu gostava muito da minha mesa porque ficava do lado da varanda e a internet nunca caía", diz. "Agora, estou quentinha."Antes disso, os conflitos com seu chefe por causa do frio eram frequentes. "Tenho trauma de calor porque, no primeiro escritório da empresa, não havia ar-condicionado. Ele me dá moleza e desânimo", afirma o publicitário Gustavo Uehara, 31.A temperatura do escritório costuma ficar em torno de 20ºC. "Quando há conflitos, tentamos resolvê-los. Não é porque sou gestor que tenho direito de impor o clima que eu quero", afirma.

MUDAR TEMPERATURA SEM CONSULTA PODE AFETAR IMAGEM DO FUNCIONÁRIO

Desligar ou ligar o ar-condicionado sem consultar os colegas, além de não ser educado, pode prejudicar a imagem de um funcionário na empresa, afirma Maria Aparecida Araújo, especialista em comportamento profissional e dona da consultoria Etiqueta Empresarial."O comportamento perante as situações mostra que tipo de profissional você é. Quem adapta a temperatura a si mesmo mostra egoísmo, rigidez e falta de adaptabilidade", diz. "Por outro lado, aquele que sente frio ou calor e se protege mostra altruísmo, tolerância e resiliência, qualidades valorizadas no mercado", acrescenta.Outro comportamento que pode ser negativo para o funcionário é reclamar o tempo inteiro sobre o clima. Segundo Araújo, é preciso ter uma certa discrição e não ficar se abanando ou esfregando o braço para se aquecer. "Ninguém tem culpa se você saiu de casa com a roupa errada."O diálogo é fundamental antes de fazer qualquer alteração, ressalta Yeda Moraes de Camargo, especialista em comportamento organizacional da Universidade Presbiteriana Mackenzie. "O incômodo é geral? As pessoas concordam com a mudança? É preciso fazer essas perguntas", afirma.A participação do chefe na negociação nem sempre é fundamental, diz. "Há situações que podem ser resolvidas com conversa entre os colegas e não precisam ser levadas ao gestor". Mas ela defende que chefes peçam sugestões aos funcionários.(Folha/UOL)

Após agressão, Rayanne Morais acusa Douglas Sampaio de mantê-la em cárcere privado

O fim do relacionamento de Rayanne Morais e Douglas Sampaio acaba de ganhar mais um capítulo. Após ter acusado o ex-noivo de agressão por duas vezes, a atriz contou no boletim de ocorrência, feito na 32ª DP da Taquara, segundo Leo Dias, que ficou trancada no closet do apartamento que morava com o ator. “A Polícia Militar foi acionada pela amiga da vítima, Carla Prata (…). Carla e (dois) PMs subiram até o apartamento e encontraram Rayanne trancada no closet e Douglas deitado na cama”, diz o BO. Douglas, por sua vez, nega o fato.

FRASES - POEMAS E PROVÉRBIOS

“A igual razão, igual direito.” 
(Ditado Romano - Do Digesto, coleção de textos do direito romano)

Nova moda perigosa: injetar óleo de coco para ganhar músculos

Fisiculturistas que injetam óleos naturais para melhorar seu físico correm risco de sofre danos duradouros e até mesmo de morrer. Após o relato do caso de um homem de 25 anos de Londres, na Inglaterra, que ficou com cicatrizes e funções corporais restritas após se auto-injetar esses óleos, especialistas temem que essa seja apenas a “ponta do iceberg”, de acordo com o jornal britânico The Guardian. Embora tenha pouca literatura médica sobre o assunto, nos últimos anos foram registradas ocorrências de fisiculturistas que usam óleos naturais como de gergelim, de noz e até mesmo parafina na esperança de aumentar o tamanho e a definição de seus músculos. A prática teria se originado devido ao baixo custo desses produtos em comparação com compostos sintéticos usados para a mesma finalidade. Um estudo de caso publicado quinta-feira no periódico científico BMJ Case Reports mostrou que a prática está bem documentada entre comunidades árabes, do Oriente Médio e on-line. O homem de 25 anos foi encaminhado para o Hospital Ealing, em Londres, por causa de dor e perda dos movimentos do braço direito, no qual ele havia injetado óleo de coco durante vários meses. Uma ultra-sonografia mostrou que o jovem tinha uma ruptura no tríceps – uma condição rara em pacientes jovens – e cistos múltiplos dentro dos músculos do braço. Foi necessária uma cirurgia para reparar a ruptura. Embora o procedimento tenha sido bem sucedido, o paciente ficou com cicatrizes e com uma flexão limitada do cotovelo. “Ele perdeu funções significativas em seu tríceps e ele é destro. Se ele tivesse injetado o óleo de coco em uma de suas veias por engano, poderia ter sido fatal. Pode causar uma embolia no coração, nos pulmões ou no cérebro. Você precisa pensar sobre as implicações disso.”, disse Ajay Sahu, da NHS de Londres North West Healthcare e co-autor do relatório publicado no BMJ. Segundo Sahu foi difícil chegar ao diagnóstico, porque o paciente não admitiu inicialmente o que tinha feito e naquele momento o médico ainda não tinha conhecimento da popularidade da “prática” de injetar óleos naturais para tentar construir músculos. Após a descoberta, o especialistas sugeriu que essa procura por medidas drásticas são um preocupante sintoma da crescente inquietude dos jovens em relação à sua aparência. “As pessoas fazem todo tipo de coisas [para ganhar músculo] e essas coisas não são muito relatadas.”Essas pessoas nunca vão ao médico e dizem todas as coisas que fazem. Esta é apenas a ponta do iceberg.”, afirmou.

Cai número de assinantes de TV fechada, diz Anatel

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou que o número de clientes de TV por assinatura caiu 2,4% no Brasil, de outubro de 2015 até o mesmo mês deste ano. Foi registrada uma perda de 471 mil assinantes no período, o que a agência reguladora atribui à crise econômica que tem levado muitas famílias brasileiras a cancelarem o serviço. A empresa afirma que a queda no número de assinantes já vem sendo observada desde o ano passado, quando o setor perdeu 3,1% de seus clientes. “O fator principal é a crise econômica, que levou principalmente as famílias de baixa renda a cancelar seus pacotes”, disse o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude. A queda do número de assinantes nos últimos meses contrasta com o crescimento do setor nos anos anteriores. Entre 2010 e 2014, o número de assinantes dobrou e, em 2014, o setor cresceu 8,7%. A Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA) afirmou, no entanto, que os números divulgados nesta sexta não são tão assustadores e explica que o setor teve uma redução menor do que a queda registrada na economia do país como um todo. “Não é o que a gente gostaria, obviamente, gostaríamos de estar crescendo, mas nós estamos inseridos em um contexto econômico difícil, com desemprego altíssimo”, destacou o presidente da ABTA, Oscar Simões. Segundo ele, o que explica o fato de o número de assinantes não ter caído tanto é que as famílias usam cada vez mais a TV por assinatura como forma de lazer. “O nosso produto está cada vez mais se revestindo de essencialidade para as pessoas. Como tem uma programação diversificada, tem canal infantil, é um produto que atende a diversas faixas etárias e a diferentes famílias, acaba sendo a principal fonte de lazer, informação e cultura”, afirmou. Simões esclarece que nos últimos meses já era observada uma desaceleração na queda do número de clientes e a retomada do crescimento vai depender de a economia do país voltar a crescer. “Assim que a economia retomar [o crescimento], a gente retoma acima da economia. Se ano que vem a economia crescer 1%, provavelmente a gente cresça 3%”, estimou. Apesar da queda geral dos setores da economia, em alguns meses deste ano, foi registrado um aumento no número de assinantes, o que o presidente atribui à ocorrência dos Jogos Olímpicos e à entrada do serviço em novas cidades.

Empresas Parceiras em Destaque (042B)

FHC: 'se Temer cair, deve haver eleições diretas'

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso deu entrevista na noite desta quinta-feira (2) ao do jornalista Mario Sergio Conti no programa “Diálogos”, GloboNews, e foi questionado sobre uma possível queda do atual mandatário do Brasil, Michel Temer. "Prefiro acreditar que isso não vá acontecer. Faço todo esforço para que não haja a queda de Temer. (...) Mas se a pinguela cair, o Congresso terá de convocar eleições diretas. Porque é difícil governar nessa situação de escolha indireta pelo Congresso", disse. De acordo com a coluna do Noblat, do jornal O Globo, manda a Constituição que o Congresso eleja o sucessor de Temer se ele morrer, renunciar ou for deposto a partir de 1º de janeiro. Para que haja eleição direta, o Congresso teria que mudar a Constituição, o que exigiria três quintos dos votos de deputados e senadores. Fernando Henrique é a carta na manga do PSDB e de empresários ligados ao partido para substituir Temer numa eventualidade. Isso se tornou público em artigo recente de um ex-auxiliar dele publicado na Folha de S. Paulo. Temer não gostou do que leu, mas nada disse.

Pesquisadores: disfunção erétil melhora com exercício físico

Investigadores do Centro de Investigação em Tecnologias e Sistemas de Saúde (Cintesis) da Universidade do Porto, em Portugal, defendem que o exercício físico pode e deve ser usado no tratamento da disfunção erétil, a par da medicação e sob supervisão médica. Num trabalho publicado no British Journal of Sports Medicine, a equipe coordenada por Carlos Martins e Luís Azevedo, médicos, professores universitários e investigadores do Cintesis, refere que "foi realizada uma extensa e aprofundada pesquisa, seleção e análise da literatura e agregados os resultados de sete ensaios clínicos desenvolvidos entre 2004 e 2013, envolvendo 478 participantes com diagnóstico de disfunção erétil e idades compreendidas entre os 43 e os 69 anos". Os resultados indicaram que "a atividade e exercício físicos melhoram a disfunção erétil, especialmente os exercícios aeróbicos com intensidade moderada a vigorosa". Segundo André Silva, primeiro autor deste trabalho, "o principal desafio é mudar o paradigma de tratamento, incluindo a atividade física como terapia adjuvante. Isso vai exigir a participação de equipas multidisciplinares que incluam especialistas em urologia, medicina geral e familiar, fisioterapia, medicina desportiva e enfermeiros devidamente treinados". O investigador reitera que "o exercício físico deve ser incluído como tratamento sob supervisão clínica, sendo importante excluir contraindicações relevantes para este tipo de intervenção". Ainda não é claro quanto tempo levará até que a prática de exercício físico melhore de forma significativa a disfunção erétil, por isso, os investigadores defendem que é importante "promover ensaios clínicos maiores, que acompanhem os pacientes por longos períodos, para investigar que tipo específico de exercício funciona melhor e por quanto tempo deve ser recomendado". De acordo com os autores do estudo, a disfunção erétil é um problema crescente na sociedade atual, afetando 8% dos homens entre os 20 e os 30 anos de idade. Esta taxa sobe substancialmente com a idade, estimando-se que atinja 37% dos homens entre os 70 e os 75 anos. Além de ter "um forte impacto negativo" na qualidade de vida dos afetados, a disfunção erétil é "um reconhecido indicador da presença de doenças cardiovasculares". "É importante que os homens que se veem confrontados com problemas em ter ou manter uma ereção procurem o seu médico assistente, não só para resolverem a disfunção erétil, mas também para avaliarem a existência de outros problemas de saúde potencialmente importantes", sublinha André Silva. Com informações da Lusa.

Brasileiro vai trabalhar mais para evitar corte na aposentadoria

A nova tabela do fator previdenciário valerá para aposentadorias solicitadas desta quinta até 30 de novembro de 2017. Nela, constará que a partir de agora, o brasileiro precisará trabalhar mais para evitar um desconto maior no valor da aposentadoria por tempo de contribuição. De acordo com a Folha de S. Paulo, a expectativa de vida é um dos componentes do fator previdenciário, índice criado ainda no governo FHC para reduzir o benefício do trabalhador que se aposentar mais cedo. Em 2015, a esperança de vida ao nascer no país era de 75 anos, cinco meses e 26 dias, divulgou nesta quinta (1º) o IBGE. Houve aumento, portanto, de três meses e 14 dias em relação à expectativa para os nascidos em 2014. Homens entre 50 e 59 anos de idade precisarão trabalhar 62 dias a mais para ter o mesmo valor de aposentadoria, na comparação com um benefício solicitado até o mês passado. Para mulheres de 45 a 54 anos, o período aumentou em 73 dias, segundo a Conde Consultoria Atuarial.

Tomar sorvete de manhã te deixa mais inteligente, diz estudo

Um estudo realizado pela Universidade Kyorin, em Tóquio, aponta que tomar sorvete logo no café da manhã deixa as pessoas mais inteligentes. O professor Yoshihiko Koga, líder do estudo, afirma que o alimento não só ajuda a manter o estado de alerta e atenção das pessoas, como melhora o desempenho mental. Durante a pesquisa, os voluntários tinham que tomar sorvete logo ao acordar. Depois eles tinham que completar uma série de exercícios mentais em um computador. Koga concluiu que as pessoas que tomaram sorvete de manhã tinham melhores tempos de reação e melhor capacidade de processar informação do que as do grupo controle, que não tomaram sorvete logo cedo. Segundo o jornal Metro, o investigador repetiu os testes usando água fria em vez de sorvete e os resultados não foram iguais. A teoria é a de que a combinação do frio com o açúcar proporciona a melhora na inteligência, mas é preciso fazer mais estudos sobre o tema.

Neto melhora e médicos preveem retorno dele ao futebol

O zagueiro Neto, um dos sobreviventes do acidente aéreo da Chapecoense, na Colômbia, apresentou melhoras significativas no estado de saúde. Nesta quinta-feira, o pai do jogador, Helam Marinho Zampier, contou que depois de ser submetido a cirurgias, o defensor reagiu bem e os médicos chegaram a dizer que ele terá condições de no futuro, estar recuperado e voltar a jogar futebol. “Meu filho está cada vez melhor. Acaba de fazer cirurgia na perna e médicos afirmam que voltará ao futebol”, escreveu no Facebook o pai do jogador de 31 anos. “Agradeço as orações e continuemos com elas pois ainda precisamos de confirmações e alta para poder vê-lo de perto e tenho que dominar minha ansiedade que é muita”, completou. O defensor de 31 anos, ex-Santos, foi o último a ser resgatado do local da queda do avião, nos arredores do aeroporto internacional de Medellín. Cerca de dez horas depois do acidente, resgatistas encontraram Neto bastante ferido, com hipotermia e com uma grave lesão torácica, que motivou cuidados especiais dos médicos. Dos 22 jogadores do clube que viajavam para a final da Copa Sul-Americana, três sobreviveram. Além do Neto, continuam hospitalizados em estado grave o lateral-esquerdo Alan Ruschel e o goleiro Follmann. Outro integrante do voo que está internado na Colômbia é o radialista Rafael Henzel. (Estadão Conteúdo)


Homens gays voltaram a ser os mais vulneráveis ao HIV no Brasil

Estatísticas da ONU mostram que, mundialmente, mulheres são a maioria dos infectados pelo HIV entre os jovens de 15 a 24 anos - faixa etária em que a epidemia tem crescido mais fortemente. O Brasil, no entanto, vai na direção contrária: dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira, Dia Mundial da Aids, mostram aumento da infecção entre homens jovens, e queda entre as mulheres. Os números são impulsionados principalmente pelo aumento das infecções entre homens que têm relações homossexuais. Nas últimas décadas, o número de casos de transmissão heterossexual era maioria, tanto para homens quanto para mulheres. No caso delas, continua sendo. Mas em todo o país, a proporção de casos de infecção homossexual entre homens foi de 30,8% em 2007 para 50,2% em 2016. Em casos heterossexuais, ela caiu de 47,3% para 38,5% no mesmo período. Mas por que isso ocorre? Especialistas ouvidos pela BBC Brasil apontam razões que vão desde acesso maior das mulheres aos testes até o surgimento de aplicativos que facilitam encontrar parceiros sexuais, passando pela diminuição de programas de educação nas escolas. Homens e mulheres Em teoria, tanto homens quanto mulheres têm as mesmas possibilidades de contrair o vírus. Segundo dados da Unaids, agência da ONU que cuida do tema, as mulheres eram 60% dos jovens de 15 a 24 anos com HIV no mundo em 2015. Mas a estatística se deve, principalmente, à situação no continente africano."O sexo entre gerações diferentes está gerando essa epidemia entre mulheres mais jovens na África. É por isso que a maioria dos nossos relatórios foca nas mulheres. Mas a América Latina, principalmente a do Sul, tem uma epidemia diferente", disse à BBC Brasil Georgiana Braga-Orillard, diretora do Unaids Brasil. Os dados do Ministério da Saúde mostram que a taxa de homens de 15 a 19 anos infectados pelo HIV mais que duplicou nos últimos 10 anos (de 2,9 casos por mil habitantes em 2003 para 6,9 em 2015). O mesmo ocorreu na faixa de 20 a 24 anos (de 18,1 casos por mil habitantes a 33,1). Já entre as mulheres, ela se manteve estável entre as meninas de 15 a 19 anos e chegou a cair entre as jovens de 20 a 24 anos. Os números brasileiros seguem a tendência da América Latina, onde os garotos de 15 a 24 anos correspondem a cerca de 64% das novas infecções, segundo a ONU. "No Brasil, falamos muito do jovem gay. O começo da epidemia era muito presente em homens que fazem sexo com homens. Mas no início dos anos 2000, o perfil começou a mudar", afirma. "Os pesquisadores acreditavam que a tendência seria a infecção de mais mulheres, mais pessoas no interior do país e mais pessoas pobres, por terem menos acesso a informação. Isso chegou a ocorrer, mas depois se reverteu." No Brasil, dados de 1990 até 1996 de fato mostravam mais homens a partir de 13 anos infectados com HIV do que mulheres. Em 1997, no entanto, a situação se inverteu. Mulheres foram mais infectadas de então até 2011. E, em 2012, o ministério voltou a registrar mais casos de homens infectados do que mulheres. Um dos fatores que fez com que as estatísticas mostrassem mais mulheres durante anos foi o maior acesso delas aos serviços de saúde, diz o sanitarista Caio Oliveira, oficial de HIV/Aids na Unicef Brasil. "O Ministério da Saúde tornou o exame obrigatório em grávidas. Por isso, a notificação das mulheres aumentou. Quando os testes passaram a ser disponibilizados pelo ministério de forma mais abrangente, voltamos a perceber uma epidemia concentrada nas populações mais vulneráveis", afirmou à BBC Brasil. São consideradas populações vulneráveis no Brasil os homens que têm relações homossexuais, populações trans, profissionais do sexo e usuários de drogas, principalmente o crack.


Uma aspirina por dia diminui o risco de câncer

Estudo realizado pela Universidade do Sul da Califórnia somente com americanos revela que mais pessoas chegarão aos 80 anos se começaram a tomar uma pequena dose de aspirina por dia a partir dos 60 anos. A pesquisa conclui que estas pessoas, ao tomar aspirina diariamente, reduzem o risco de sofrer de câncer e de doenças cardiovasculares. Como reporta o Daily Mail, estas descobertas feitas pelos investigadores da Universidade do Sul da Califórnia contradizem os receios da FDA - Food and Drug Administration – de que os norte-americanos mais velhos enfrentem um risco maior de AVC e hemorragia cerebral e no estômago se tomarem aspirina diariamente. Usando dados dos inquéritos nacionais os investigadores, liderados por David B. Agus, os pesquisadores descobriram que uma pequena dose diária de aspirina previne 11% dos casos de doenças cardiovasculares e quatro casos de câncer em cada mil norte-americanos entre os 51 e os 79 anos. Já a esperança de vida poderá melhorar em 0,3 anos, fazendo com que mais oito norte-americanos cheguem aos 80 anos e três aos 100 anos.

Expectativa de vida do brasileiro aumenta para 75,5 anos

A expectativa de vida do brasileiro de ambos os sexos ao nascer passou de 75,2 anos em 2014 para 75,5 anos em 2015, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O aumento, embora pequeno, mantém a tendência de crescimento da taxa por anos consecutivos. Em 2011, a esperança de vida do brasileiro era de 74,1 anos; em 2012, 74,6 anos; em 2013, 74,9 anos. Os dados estão na Tábua Completa de Mortalidade, publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta. Os dados apresentam as expectativas de vida às idades exatas até os 80 anos, trazendo informações por sexo e localidades. A Tábua de Mortalidade é usada como um dos parâmetros para determinar o fator previdenciário, no cálculo das aposentadorias do Regime Geral de Previdência Social. (com Estadão Conteúdo)

Produção da indústria cai 1,1% em outubro, diz IBGE

A indústria brasileira voltou a recuar em outubro, após uma leve alta no mês anterior. Na comparação com setembro, a produção do setor caiu 1,1%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta sexta-feira (2). É a maior retração para outubro desde 2013, quando foi de 1,5%. “O resultado negativo de outubro anula o avanço positivo que tivemos no mês anterior”, disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. Já em relação a outubro de 2015, a indústria registrou recuo de 7,3%, o mais forte desde maio de 2016 (-7,4%). No ano, de janeiro a outubro, a atividade fabril do país acumula baixa de 7,7%. Em 12 meses, o segmento tem queda de 8,4%. Macedo lembrou que 2015 fechou com recorde histórico de queda na produção industrial (-8,3%). “No acumulado dos últimos 12 meses, que é de -8,4%, a queda já é ainda maior que o recorde do ano passado.” De setembro para outubro, a maioria dos ramos pesquisados mostrou resultados negativos. Os destaques ficaram com produtos alimentícios (-3,1%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (-4,5%). Também recuaram as produções das indústrias de borracha e de material plástico (-4,9%), de metalurgia (-2,8%) e de bebidas (-3,5%), entre outras. Na contramão, cresceu a produção de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (1,9%). Entre as grandes categorias econômicas, recuaram as produções das indústrias de bens de capital (-2,2%), bens intermediários (-1,9%), bens de consumo duráveis (-1,2%) e de bens de consumo semi e não-duráveis (-0,8%). “O nível de produção que a indústria como um todo opera neste momento é distante 21,6% abaixo do pico registrado em junho de 2013. Em termos de patamar de produção, é como se estivéssemos produzindo algo semelhante a dezembro de 2008, quando estávamos no auge da desaceleração industrial no contexto de crise econômica mundial”, destacou o pesquisador.

Rui Costa sanciona lei que cria bolsa de estímulo para professores

Professores efetivos do magistério que exercem atividades nos ensinos fundamental e médio da rede estadual de ensino da Bahia e estão em condições de aposentar-se terão direito a uma Bolsa de Estímulo à Permanência em Atividade de Classe, de acordo com lei sancionada pelo governador Rui Costa na quinta-feira (1º). O projeto do Executivo foi aprovado pela Assembleia Legislativa e a lei que institui a bolsa será publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta. O valor do benefício será de R$ 1.600 para o professor com carga horária de 40 horas, e de R$ 800, para aqueles com carga horária de 20 horas. “Ao longo de quase dois anos de gestão, tenho destacado que a educação é uma das minhas prioridades, e isso tem sido comprovado com ações concretas do Governo. Essa é mais uma ação que tem como objetivo valorizar os professores, criando condições para que eles possam prolongar sua permanência dentro das escolas. É uma contribuição a mais para a construção do futuro dos nossos jovens”, comentou Rui Costa.
Critérios – De acordo com a lei, o benefício será pago por dois anos, prorrogáveis por mais dois, e sobre ele não incidirá contribuição previdenciária. Também não poderá ser utilizado para cálculo de aposentadoria e pensão.

Servidores que obtiverem desempenho individual satisfatório e que não possuem em seus registros funcionais mais de seis faltas injustificadas no ano letivo imediatamente anterior ao do início da percepção da vantagem poderão ser contemplados. O desempenho individual será aferido pelo chefe imediato do servidor interessado em perceber o benefício e comprovado mediante certidão específica. Aquele que exercer as suas atribuições em mais de uma unidade escolar da rede estadual de ensino deverá ser avaliado em ambas as unidades. A percepção da bolsa não implicará na suspensão de alguma vantagem ou benefício recebido pelo servidor, a exemplo do abono de permanência, instituído pela Emenda Constitucional n° 41/03.

Crise política não afeta ajuste fiscal, diz Meirelles

O ministro da Fazenda Henrique Meirelles disse hoje (1º), em evento na capital paulista, que o ajuste fiscal não será prejudicado pelas últimas crises políticas que o governo federal tem enfrentado. “O ajuste fiscal, eu acredito que não está ao sabor de acontecimentos político momentâneos, na medida em que ele é resultado de uma consciência dos congressistas, dos deputados e dos senadores”, disse o ministro no Brazil Opportunities Conference, promovido pelo banco J. P. Morgan. O ministro justificou sua visão dizendo que o projeto foi aprovado por maioria na Câmara dos Deputados e no Senado. Ele lembrou que a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto de Gastos foi aprovada com larga maioria de votos na Câmara dos Deputados, em dois turnos, e no Senado, em primeiro turno. É resultado, segundo ele, de "uma consciência de que um ajuste fiscal estrutural no Brasil é necessário e que o ritmo de crescimento das despesas públicas no Brasil é ainda, até a aprovação, insustentável”. O público do evento era de investidores internacionais, para os quais Meirelles afirmou que o governo está indo muito bem, apesar dos problemas ainda verificados, como o desemprego. No seu entender, o encotro promovido pelo J. P. Morgan era "uma oportunidade excelente para mostrarmos que o Brasil, de fato, está vivenciando a maior crise, a maior recessão da sua história". Uma recessão que dura muito tempo, segundo ele, na medida em que as ações corretivas, o ajuste fiscal, só começaram neste ano, a partir de maio, ao passo que a crise existe desde o final de 2014, começo de 2015. “Demora certo tempo para que as empresas reestruturem suas dívidas, renegociem com os bancos, e possam, em consequência, voltar a investir para tornar a crescer; e o mesmo ocorre com muitas famílias”, disse. Portanto é uma retomada um pouco mais lenta, mas está indo muito bem, as medidas estão sendo aprovadas, acrescentou. Ajuste fiscal nos estados Meirelles disse que se reuniu hoje com cinco governadores, representando as cinco regiões do país, para falar sobre o teto de gastos no âmbito estadual. Segundo ele, os governadores concordaram em fazer um ajuste nos temos do que está sendo feito pelo governo federal. “Voluntariamente, os governadores pactuaram um acordo pelo qual os estados também vão seguir um crescimento para gastos públicos, que será a inflação ou o crescimento das receitas líquidas estaduais – aquele [valor] que for menor” – destacou. A questão do ajuste fiscal, adiantou Meirelles, está sendo aprovada não só pelo Congresso para o governo federal, mas já está sendo pactuada com governadores, que devem enviar projetos para suas assembleias legislativas, a fim de estabelecer s limites nos estados. O ministro revelou que os estados também concordaram em aumentar as alíquotas ou contribuições para a Previdência estadual, nos tetos previstos até 2019. Portanto, "existe um processo de ajuste grande e, dentro desse contexto, o governo federal decidiu –, como foi anunciado antes, e apenas confirmou isso – que haverá a repartição da multa cobrada no programa de repatriação de capitais”.

Culinária: Crepioca de frango cremoso

Ingredientes
1 ovo 
1 clara 
2 colheres (sopa) polvilho azedo 
1 colher (sopa) água 
1 colher (sobremesa) iogurte desnatado ou queijo cottage 
à gosto Sal 
1 xícara (chá) frango desfiado 
1 colher (sopa) requeijão light 

Modo de preparo:
Bata os ovos, a água, o polvilho e o iogurte (ou cottage) no mixer ou liquidificador. Coloque 1/3 da massa na frigideira antiaderente pré aquecida e cozinhe em fogo baixo. Quando despregar da panela, vire e espere dourar do outro lado. Frite o restante da massa. Recheie cada crepioca com frango e um pouquinho de requeijão e enrole ou dobre ao meio.

INSS convoca 150 aprovados em concurso

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão determinou a nomeação, pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de 150 pessoas que haviam sido aprovadas em concurso público pelo órgão. Como presente de Natal antecipado, ontem foram convocadas para começar a trabalhar. A decisão saiu no Diário Oficial da União (DOU) de ontem. Com outras 150 nomeações autorizadas no início de novembro, já são 300 as vagas a serem preenchidas, de um total de 950 previstas no edital do concurso. Pela regra do edital, o INSS poderá convocar 100 aprovados para o cargo de técnico do Seguro Social, de nível intermediário de escolaridade, e mais 50 para o cargo de analista do Seguro Social, com formação superior em Serviço Social. Os novos servidores farão parte da Carreira do Seguro Social do INSS.

Coração de Maria: Lavrador fica preso em máquina de triturar capim e tem pé amputado

Um lavrador teve o pé direito amputado após ficar preso em uma máquina de triturar capim, em Coração de Maria, na última quarta-feira (30). Segundo o Corpo de Bombeiros, que socorreu a vítima, parte do membro foi esmagado pela máquina. De acordo com o G1, o acidente ocorreu durante a manhã, no povoado de Picado, na Fazenda Nova Pista. O homem de 39 anos teve o pé e parte da perna direita presa no cilindro. Conforme informações dos Bombeiros foi necessário o uso de equipamento especial, para criar um espaço para a retirada da perna do lavrador. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) conduziu a vítima ao Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana. Não há informações sobre o estado de saúde do trabalhador.

Dormir pouco pode ser perigoso para o coração, mostra estudo

Dormir pouco pode ser perigoso para o coração, de acordo com um novo estudo realizado por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Bonn (Alemanha). Os pesquisadores avaliaram as condições cardíacas de médicos da própria equipe, que trabalham em turnos de 24 horas, e descobriram que a falta de sono aumenta a pressão sanguínea e sobrecarrega o coração, aumentando a força dos batimentos (contratilidade) e sua frequência."Pela primeira vez, mostramos que uma privação de sono de curto prazo, no contexto dos turnos de 24 horas, pode levar a considerável aumento da pressão sanguínea, da contratilidade e da frequência cardíaca", disse o autor principal do estudo, Daniel Kuetting, do Departamento de Radiologia Diagnóstica da Universidade de Bonn.Pessoas que trabalham em serviços de emergência, como médicos, policiais, bombeiros e outros, são convocados com frequência para atuar em turnos de 24 horas. Já se sabia que esse tipo de jornada estressante pode afetar diversos processos físicos, cognitivos e emocionais.

Mas, segundo Kuetting, o novo estudo é o primeiro a focar no impacto específico do turno de 24 horas sobre as funções cardíacas. Os resultados da pesquisa foram apresentados na manhã desta sexta-feira, 2, na reunião anual da Sociedade Radiológica da América do Norte (RSNA).Os estudos foram feitos com os próprios médicos da universidade. Foram selecionados 20 radiologistas saudáveis com idade média de 31,6 anos. Cada um dos participantes foi avaliado com exames de ressonância magnética cardiovascular (RMC), com análise de deformação.Os participantes foram submetidos aos exames antes e depois de seus turnos de 24 horas, nos quais tiveram em média três horas de sono. Os cientistas também coletaram amostras de sangue e de urina de todos eles e mediram a pressão sanguínea e a frequência cardíaca.A função cardíaca no contexto da privação de sono não havia ainda sido investigada com análise de deformação em exames de RMC, que é o parâmetro mais minucioso de contratilidade cardíaca", explicou Kuetting.

Após a privação de sono de curto prazo, além de apresentarem elevação considerável da pressão sanguínea e da frequência e contratilidade cardíaca, os participantes também tiveram um aumento importante dos níveis de hormônios da tireoide e do cortisol - um hormônio liberado pelo organismo em resposta ao estresse.Kuetting afirma que aumento da pressão sanguínea após a privação de sono não chegou a valores que caracterizam pressão alta, mas ainda assim revelam uma conexão inequívoca entre a privação de sono e o aumento da pressão. Ele afirma que será preciso realizar estudos com grupos maiores para determinar possíveis efeitos de longo prazo da falta de sono."O estudo foi desenhado para investigar um caso real de privação de sono relacionada ao trabalho. Não foi permitido que os participantes consumissem, durante o estudo, cafeína ou alimentos e bebidas que contivessem teobromina, como chocolate, castanhas ou chá. Porém, nós não levamos em conta fatores como estresse individual e estímulos ambientais", explicou Kuetting. Com informações do Estadão Conteúdo.


Tomar sorvete de manhã te deixa mais inteligente, diz estudo

Um estudo realizado pela Universidade Kyorin, em Tóquio, aponta que tomar sorvete logo no café da manhã deixa as pessoas mais inteligentes. O professor Yoshihiko Koga, líder do estudo, afirma que o alimento não só ajuda a manter o estado de alerta e atenção das pessoas, como melhora o desempenho mental. Durante a pesquisa, os voluntários tinham que tomar sorvete logo ao acordar. Depois eles tinham que completar uma série de exercícios mentais em um computador. Koga concluiu que as pessoas que tomaram sorvete de manhã tinham melhores tempos de reação e melhor capacidade de processar informação do que as do grupo controle, que não tomaram sorvete logo cedo. Segundo o jornal Metro, o investigador repetiu os testes usando água fria em vez de sorvete e os resultados não foram iguais. A teoria é a de que a combinação do frio com o açúcar proporciona a melhora na inteligência, mas é preciso fazer mais estudos sobre o tema.

Procurar Notícias

Carregando...
©Site fundado em 09/10/2008 - Por: *Valter Egí - Todos os direitos reservados à Jacobina News*